Blog Bem Gasto

Autocuidado e [autoengano] autorresponsabilidade

Amigas e amigos, tudo bem?


Queria muito saber o que vocês entendem sobre o que é cuidado pessoal ou, melhor ainda, “autocuidado”. Para pessoas diferentes, isso pode querer dizer coisas diferentes… 

Já vi gente praticar “compraterapia” e dizer que está cuidando de si mesm@. Comprar cosméticos da moda (e não, não são só as mulheres…) para se sentir melhor… que tal uma sessão em um Spa? Jantar fora, talvez… aquela saída com os amigos, com certeza! Alguém que me lê aqui sem dúvida consegue pensar em outros exemplos de certas decisões vestidas de cuidados pessoais. Será que é isso mesmo? Isso faz sentido?


Para mim, autocuidado é uma atividade que nos faça bem, que faça bem ao nosso entorno e às pessoas que nos cercam, agora e no futuro. São vários os exemplos - prática de atividade física ou esportes, aquisição de conhecimento, cuidar da saúde, fazer algum tipo de terapia… posso pensar em várias coisas! E, como esquecer - guardar dinheiro para o futuro!


Posso também afirmar que, na medida do possível, investir (não só dinheiro, mas todos os recursos limitados que temos hoje em dia - atenção, foco, dinheiro, tempo) nestas coisas traz MUITA felicidade e resultados extraordinários. Fiz questão de não falar sobre grana exclusivamente porque essas coisas podem ser buscadas sem gastar os tubos - essa questão não é problema “de rico” (apesar de eu querer que tod@s vcs corram atrás dos seus sonhos). 


O que não dá pra fazer é confundir autocuidado com autoengano. Não dá pra começar a usar o autocuidado para justificar decisões erradas… sabem aquele famoso “eu mereço”? Pois é - é ele mesmo aqui, e o monstro sai da jaula em momentos bem ruins!   


Ou seja, cuidar de si mesmo não necessariamente é gastar (tempo, atenção, dinheiro) tudo agora; é bom guardar um pouco de tudo para o futuro. Dá para conciliar. Só cuidado: nesta época de Black Friday, Cyber Monday e promoções que querem fazer a sua experiência de comprar a menos dolorosa possível, tenha CONSCIÊNCIA dos seus atos. 


Não estou aqui para falar - “não compre”, “não faça aquele tratamento estético para te deixar feliz”, “não se dê aquela massagem de presente”... Não sou eu que vou julgar daqui do blog onde vc deve gastar seu suado dinheiro. Só não se enganem - se você não tiver consciência do que está fazendo, áreas da sua vida sairão do equilíbrio e vc (junto com sua família e pessoas amadas) pode se dar mal. Não espere isso acontecer.


A única coisa que eu peço é para vocês trazerem para o topo da cabeça o real motivo que vcs querem mesmo fazer e as consequências daquela determinada ação. Desafiem o pensamento e a ação automáticos, tentem melhorar de pouco em pouco, Vcs já sabem que gastar agora pode significar menos dinheiro amanhã, então… 


Isso tem outro nome: AUTORRESPONSABILIDADE. E que responsa, pessoal!


Contem pra gente - que acham? Já ? Ficaram animad@s para ir? Quais outras formas vocês usam para negociar suas dívidas? Se quiserem comentar, perguntar ou gritar por socorro, é só escrever pra mim!


Um grande abraço,

Alexi Atchabahian

alexi.atchabahian@gmail.com




0 visualização