Blog Bem Gasto

Dívidas de fim de ano -episódio 3: Para onde seu dinheiro vai?

Amigos e amigas, tudo bem com vocês?


Estamos no terceiro episódio da série “Purificação das Dívidas de Final de Ano”.


Como vocês estão indo? Tem alguém seguindo as dicas? Queria muito saber!! Se alguém estiver e se sentir confortável em contar como está sendo a experiência, vamos ficar felizes em saber!


Semana passada falamos sobre a importância de conhecer o “tamanho do buraco”. Na verdade, isso nada mais é do que saber com MUITA clareza qual é seu objetivo. Falar para si mesm@ que você quer “quitar as dívidas” não é um objetivo específico o suficiente. Como qualquer caminho que queiramos percorrer, precisamos saber para onde estamos indo antes de partir. Sem saber para onde estamos indo, qualquer caminho serve! Agora é hora de continuar planejando a jornada.


Você já encarou seus medos, reuniu coragem e registrou o quanto deve. Olhou a fera nos olhos e decidiu enfrentá-la... mas ainda falta uma coisa: saber como seu dinheiro está organizado hoje. Em outras palavras: querer pagar as dívidas sem saber como sua grana está hoje é a mesma coisa que querer percorrer o caminho sem saber de onde se está partindo. Sem um ponto de destino e um ponto de origem, não tem como traçar rota alguma! Então a tarefa de hoje é: tenha um orçamento.


“Ahhh, mas isso é manjado. Orçamento então serve pra tudo? Se fosse simples assim eu não estava onde estou...” Você pode pensar isso e mais. Mas você precisa saber uma coisa: o caminho para sair disso não é complicado por conta da falta de ferramentas simples; o caminho é complicado porque é sofrido adotar novos comportamentos, mudar as rotinas.

O orçamento é uma ferramenta extremamente útil para quem não tem noção de para onde sua grana está indo, para que ela está sendo usada. Se você tem dívidas por exagero nos gastos, um orçamento vai te ajudar a decidir exatamente onde reduzir ou cortar. Se está “no buraco” porque a renda caiu ou veio uma emergência, um orçamento pode te ajudar a perceber que o problema não está no destino do dinheiro, mas sim na geração de renda. Independente do seu caso específico, ele vai te ajudar, porque ele vai iluminar qual a sua situação.


Eu não sou o louco do orçamento. Em geral, se uma pessoa não quer fazer um, ela tem de assumir essa “liberdade” com a “responsabilidade” de não gastar mais do que ganha (para os amantes do Homem-Aranha, a frase do Tio Ben cabe aqui: “com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”). Mas quem tem dívidas precisa de uma forcinha a mais. A pessoa endividada, na minha opinião, precisa de mais informações sobre onde pode melhorar, precisa abrir mão da “liberdade” em prol de resolver um problema. Ainda mais este, que tem o potencial de se tornar grande. Ainda mais se considerarmos o poder dos juros compostos sendo usados contra nós no cheque especial, rotativo do cartão… algo pequeno pode se tornar grande rápido.


“E como fazer? Qual o melhor orçamento do mundo?” Sinceramente - não tenho preferência. O melhor orçamento é aquele que você vai fazer de maneira constante e consistente. Agora, o foco é em estabelecer um novo hábito. Não foque seus esforços em ter a melhor planilha de Excel, ou o app de controle mais f.dástico, mas em algo que você anote seus gastos sempre e saiba para onde está indo. Se quiser, categorize os gastos e some por categoria – do jeito que mais te agradar. Mas faça. Sempre. Todo dia, idealmente. No mínimo dos mínimos, duas vezes por semana.


A escolha é sua. A responsabilidade também. Agora, decidida a ferramenta, anote todas as suas receitas e todas as suas despesas. Algumas dicas:


Sobre as receitas: anote o que entra no seu bolso após todos os descontos, não as entradas brutas. Assim você sabe o quanto você efetivamente tem no bolso. Muita gente esquece disso e já de cara gasta mais do que ganha.


Sobre as despesas: anote sempre o que gasta e consulte a sua situação durante o mês. Assim você sabe o quanto ainda pode gastar. Por isso que, se você ainda não tem o hábito, eu recomendo lançar os gastos no orçamento todo dia.


Ainda sobre as despesas: cuidado com gastar o dinheiro que sobra com várias coisas no futuro. Nossa cabeça prega peças e, se não olharmos os orçamentos, a gente gasta o mesmo dinheiro várias vezes…


Com um orçamento legal e a lista das dívidas, você saberá para onde quer ir (as dívidas que quer quitar) e onde você está (o quanto você ganha e gasta hoje). Com isso, conseguimos construir a sua melhor rota para chegar lá! Como diz o Waze: “estamos prontos? Vamos!”

Um abraço e até o próximo episódio da série!


Alexi Atchabahian

alexi.atchabahian@gmail.com




41 visualizações