Blog Bem Gasto

Educação Financeira: Por onde começar em 2020?

Educação financeira é muitas vezes um tema bem intimador já que a maioria das pessoas o associa com matemática e cálculos complexos. Sim, tem essa parte que é menos amigável e exige um conhecimento maior, porém, grande parte do conhecimento e benefícios podem ser alcançados sem nenhuma dessas ferramentas mais complicadas.


Eu gosto de comparar o início da educação financeira com alguém iniciando um treino em uma academia. Se você não tiver um objetivo, fica bem difícil manter o comprometimento. Por outro lado, se você tiver um objetivo – e quanto mais claro e detalhado ele for, melhor – fica mais fácil saber se você está evoluindo e o engajamento (e comprometimento) é mais facilmente mantido.


Para ilustrar melhor esse conceito quero te apresentar a Maria. Ela trabalha como vendedora em um shopping e sofre para fazer o salário chegar até o fim do mês. Ao invés de explicar para ela diversos conceitos financeiros e mergulhar nos detalhes, decidimos discutir quais são os sonhos e objetivos dela. Um deles era fazer uma viagem internacional e concordamos que seria um bom primeiro exercício para aprender alguns conceitos básicos. O destino escolhido foi Buenos Aires e a viagem seria daqui um ano por 4 dias. Ao definir esse objetivo nós também acrescentamos fotos impressas de pontos turísticos que foram colados na geladeira dela. O objetivo desse passo é manter o foco no dia-a-dia ajudando a lembrar o que ela quer alcançar. Baseado nesse cenário calculamos quanto ela precisaria economizar, R$ 3.000 (valor hipotético), e dividimos em 12 meses, R$ 250 por mês. Assim chegamos no nosso primeiro objetivo financeiro!


O próximo passo com a Maria foi detalhar os seus gastos mensais e avaliar se conseguiríamos “achar” esses R$ 250. Como ela já era uma pessoa bem cuidadosa com o dinheiro, conseguimos encontrar apenas R$ 150 referentes a manicure que ela ia duas vezes por mês e iria fazer por conta própria, e o restante era referentes a lanches que ela comia pela rua e iria começar a preparar em casa. Como ainda faltavam R$ 100 ela decidiu aceitar uma oportunidade de cuidar dos filhos de uma amiga 2 vezes por mês e ganhar R$ 100. Um ponto interessante nesse exemplo é que nem sempre você precisa cortar gastos para conseguir economizar, você pode ser criativo e encontrar formas de ganhar um dinheiro adicional para auxiliar no seu objetivo financeiro.


O ponto que mais gosto dessa abordagem é ver a transformação de um sonho que parece inatingível – no caso a viagem internacional – em algo mais tangível – os R$ 250 por mês. Isso pode ser feito para praticamente qualquer objetivo e o que vai variar é a duração, por exemplo se o objetivo é comprar um carro, provavelmente você precisara economizar por um tempo maior, ou o valor mensal. Mas a melhor parte de tudo isso é que depois de atingir um objetivo (até por isso é melhor começar com algo de valor menor), você percebe que pode continuar economizando e alcançar outros objetivos. É como a academia, no começo você se sente desengonçado e desconfortável, mas depois que você pega a pratica, a atividade fica bem mais prazerosa e os resultados aparecem.


E aí, qual é o seu sonho?


Bruno Pavanelli, diretor da Bem Gasto




62 visualizações