Blog Bem Gasto

Peças (e taxas) que a Bolsa prega na gente

Antes e o mais importante de tudo: Feliz 2020 a tod@s vocês! Espero que tenham passado bem a virada. Que cada um@ de vocês tenha refletido sobre o ano passado, recarregado as baterias e renovado as esperanças para o ano que se inicia! 


Infelizmente, o que tenho para falar hoje, em meu primeiro post do ano, não é a melhor das notícias. Eu queria começar com algo melhor, mas isso é importante e eu não queria deixar escapar uma notícia que saiu recentemente na mídia. Trata-se de uma mudança em como a bolsa de valores brasileira, a B3, vai taxar investidores pessoa física. É, é isso mesmo que você ouviu...


Na imprensa em geral, as mudanças foram pintadas como um grande favor que a B3 fez para o investidor. Sabe qual a mudança que nos beneficia? A bolsa zerou o pagamento mensal de custódia para investimentos em renda variável! Uau! À primeira vista, parece uma bondade, certo? Errado. Essa taxa já não era paga pelos investidores - as corretoras é que assumiam este custo. Benefício então para elas, não para nós.


Alguns outros benefícios foram criados, mas todos ajudam os grandes investidores e as pessoas que operam com frequência na bolsa. Com isso, a B3 incentiva e dá benefícios a quem tem bastante dinheiro (até aí sem problema) e para quem gira muito patrimônio. Girar patrimônio deixa a quem rico? Você que não; as corretoras (corretagem por ordem dada), o governo (a cada venda, paga-se Imposto de Renda) e (que rufem os tambores!!) a própria B3 (emolumentos e outras taxas).


Tudo isso foi bastante veiculado na imprensa. Agora, o que ninguém fala, e que está escondido no Comunicado que a B3 soltou no dia 1 de janeiro, é que foram criadas duas taxas: (i) uma taxa de custódia decrescente, de acordo com o volume de ativos (ou seja, uma taxa para quem tem dinheiro em renda variável - paga-se uma porcentagem menor quanto mais dinheiro se tem); e (ii) uma tarifa de processamento de dividendos e outros proventos (rendimentos de FII, bonificações, etc). 


Em outras palavras - a B3 aproveitou que só existe ela de bolsa de valores no Brasil, que as taxas de juros nacionais foram reduzidas e que agora o interesse dos brasileiros se voltou para a renda variável, e vai lucrar com isso… tirando de nós, pequenos investidores.

Ou seja, só notícia ruim para o pequeno! O Governo Federal ainda considera criar impostos sobre dividendos, hoje isentos; a B3, monopolista no mercado de bolsas de valores no Brasil, decidiu se antecipar! Que droga, né? É o que eu consigo dizer de maneira educada.

É importante saber do que está acontecendo e como isso afeta nossos investimentos. Mas, ao mesmo tempo, temos de saber que isso está fora do nosso controle. É um saco, mas a B3 é (pelo menos por enquanto) a única opção que temos. Então, na pegada de começar 2020 vendo o copo meio cheio, que lições podemos tirar disso?


Monopólios são, em última análise, ruins. Ou seja, esse é um enorme exemplo de porque competição é bom - se a B3 tivesse concorrência, é bem possível que isso não acontecesse. Incentive sempre a concorrência saudável - se não, aquele que você acha que está te defendendo pode abusar do seu poder a qualquer momento.


Investir, como viver, é isso. Vem bordoada de tudo quanto é lado, e isso é normal. A vida e o mercado têm a habilidade de nos surpreender sempre. No caso de investimentos, fazê-los basead@ só em isenções e benefícios como esses é pedir para se frustrar a qualquer momento. Eles estão prontos para serem retirados a qualquer momento, seja pela bolsa, pelos bancos ou pelo governo. Aproveite-os enquanto eles existem e não chorem quando eles forem retirados. Foco no que podemos controlar! Foco no seu processo -  economizar, gastar menos do que ganha e, com dor no coração, pagar as tarifas. No longo prazo, os rendimentos ainda tem a chance de serem bons o suficiente para que você consiga alcançar seus objetivos. Sigamos em frente!


Não deixe de considerar a renda variável em sua carteira. Estude sempre, diversifique, tenha consciência dos riscos, mas cabe a nós fazermos com que nosso ano seja maravilhoso, mesmo que com notícias ruins como essa. Vamos lá?

Se quiserem falar mais sobre o assunto ou falar sobre qualquer aspecto do seu planejamento financeiro pessoal, é só me mandar uma mensagem!

Um grande abraço!

Alexi

alexi.atchabahian@gmail.com




87 visualizações