Blog Bem Gasto

Selic em queda livre... e por que isso te interessa

Amigas e amigos, tudo bem com vocês?


Você, que é leitor ou leitora do nosso blog, já teve várias ideias de como melhorar sua vida financeira. Já teve dicas de orçamento, quitou aquele último carnê e segurou a vontade de assumir mais uma parcela e até, com todo o sacrifício, começou a juntar aquela graninha. PARABÉNS. Sério. Você é um@ guerreir@, sem zoeira. Mas você ainda não pode relaxar.


Também é sério.


Você já imaginou ter todo este esforço, conseguir chegar a este ponto, guardar uma grana (coisa que muita gente não faz) e ainda...


PERDER dinheiro?


Não é possível, né? “A poupança, que me falaram que é segura, aumenta todo aniversário como um reloginho, Alexi”, ou “o fundo que eu invisto no banco rende e ainda eu posso ganhar um carro, Alexi”. Infelizmente, é sim possível e, hoje em dia, muito provável. Por quê, ó raios?!


O Brasil foi por muito tempo um país de juros altíssimos (ainda é, por sinal), mas a tendência tem sido de baixa. O governo tem uma meta de taxa de juros básica para a economia e, em geral, as outras taxas de juros seguem o movimento dela. É a tal da Taxa Selic. Esta Selic é a taxa que o governo paga para os bancos que emprestam dinheiro diretamente para ele. A Selic é usada inclusive para o governo controlar quanto de dinheiro disponível as pessoas têm para gastar – Como? Assim, ó:


- Quanto mais alta a Selic, mais os bancos emprestam para o governo e liberam menos crédito para as pessoas - e menos as pessoas compram e consomem; os preços baixam porque a procura diminui;


- Quanto mais baixa a Selic, menos os bancos emprestam para o governo e mais crédito liberam para as pessoas; mais as pessoas compram e consomem e mais os preços sobem porque a procura aumenta.


Em outras palavras, a Selic é uma ferramenta para o governo controlar o aumento dos preços das coisas... fenômeno mais conhecido como inflação! Como os preços aumentam, nosso dinheiro vale menos, então a inflação também é descrita como a perda de valor aquisitivo do dinheiro. Agora que aprendemos / lembramos esses conceitos, vamos ver por que você pode perder dinheiro mesmo guardando.


Semana retrasada tivemos a notícia de que a Selic caiu mais um pouco, para níveis muito mais baixos do que no passado, e a tendência é de que ela abaixe ainda mais. Muitos no mercado financeiro já falam em 4,75% até o final de 2019 (notícia quentinha de hoje!). Isso impacta na VEIA as aplicações de renda fixa, principalmente a poupança e alguns fundos caros.


Com a Selic a 5,5% ao ano, a poupança paga 70% dela + TR (que hoje é zero), o que dá 3,85% ao ano; o índice de inflação (IPC-A) medido pelo governo no último ano é de 3,42%. Em uma conta aproximada, um menos o outro dá 0,43% ao ano... Se a inflação aumentar um pouquinho mais (e lembre-se, a tendência é que cresça, já que menos juros significa mais grana para as pessoas gastarem e preços mais altos!), você começa a PERDER grana em termos reais.


Como assim?


Simples – sua grana aumenta em uma proporção menor do que o valor dela diminui; no final, você fica com alguma coisa que parece maior mas na verdade consegue comprar menos! Uma falsa ilusão e, por que não, uma enganação...


A chance de você perder dinheiro na poupança já é grande, e só aumenta à medida que a Selic cai mais. Isso significa que, se você considerar quanto você ganhou por deixar a grana lá contra o quanto de valor seu dinheiro perdeu, você perderá MAIS. Os fundos caros têm uma situação parecida – o vilão, agora, acaba sendo as altas taxas de administração.

E o que vocês podem fazer para se defender?


Primeiro – começar a aprender um pouco mais sobre diferentes investimentos é uma boa pedida! Seja sozinh@ na internet, com a ajuda de amig@s ou com um profissional, corra atrás. Quanto mais baixo o juro da economia, mais risco as pessoas terão de tomar para conseguir algum retorno, algo que já acontece em vários países do mundo. Esse fenômeno tá chegando ao Brasil!


Segundo – comece devagar. Não precisa ir da poupança a um mega-investimento super complicado que você não se sente segur@, Pode ir com calma, indo com coisas que você entende e já estudou. Que tal começar saindo da poupança para outro título de renda fixa mais rentável? Vá no seu ritmo, não se afete com o que os outros dizem, MAS FAÇA! Só você será o beneficiado.


Que acham? Vamos sair da poupança? Contem suas jornadas pra gente!


Um grande abraço,

Alexi Atchabahian é voluntário da Bem Gasto

alexi.atchabahian@gmail.com




0 visualização