Blog Bem Gasto

Tudo é relativo... inclusive suas contas!

Você provavelmente já ouviu esta frase em algum lugar e ela se aplica perfeitamente às finanças pessoais.


Toda vez que comparamos preços no supermercado entre dois produtos estamos trabalhando um conceito de economia que deveríamos levar para todas as esferas de nossas vidas: custo de oportunidade.


O custo de oportunidade nada mais é do que o custo que incorro ao abrir mão de uma opção por outra. Por exemplo, tenho 5 reais e vou fazer uma compra no supermercado, gastando todo o valor. Cada lata de refrigerante custa R$1,00 e o suco custa R$5,00. Com este dinheiro posso comprar 5 latas de refrigerante ou 1 litro de suco. Dizemos que neste caso o custo de oportunidade é de 1 litro de suco para 5 refrigerantes. Fácil, não?


Pois bem, praticamos muito esse exercício no supermercado, porém não em nossas vidas. Quando vamos ao cinema, por exemplo, um combo de pipoca e refrigerante custa 30 reais. Você já pensou sobre o que você está abrindo mão? Junto com o preço dos ingressos (vamos assumir 30 reais cada), um casal gasta 90 reais para ver um filme com comida! Com esse valor você consegue assinar um serviço de streaming de filmes e seriados por 2 meses (40 reais), comprar 15 pipocas de 100 gramas (30 reais) e 5 litros de refrigerantes (20 reais). E tudo isso no conforto da sua casa, sem ter que pagar pelo estacionamento, gasolina e perder tempo procurando vaga pra estacionar e filas de ingressos e pipoca.


Ah, o tempo! Recurso mais escasso de nossas vidas, irrecuperável e valioso! Já parou pra pensar que podemos fazer este mesmo exercício de custo de oportunidade utilizando o tempo? Quando ficamos 4 horas na frente da televisão por dia, deixamos de ler 1 livro ou deixamos de complementar a renda fazendo uma hora extra ou aprendendo uma nova habilidade. E quando ficamos na fila de um banco para resolver um problema, será que não poderíamos utilizar dos meios digitais para resolvê-los mais rapidamente?


Muitas vezes esquecemos que tempo é dinheiro. Às vezes achamos que estamos poupando dinheiro, mas estamos esquecendo o quanto vale a nossa hora. Por exemplo, para economizar em um presente podemos fazer um bolo, evitando gastar dinheiro em uma confeitaria. Provavelmente o bolo feito em casa será mais barato, porém será que compensa o custo da sua hora, todo o esforço e dor de cabeça? Temos que parar e refletir sobre este custo de oportunidade de estar descansando e aproveitando tempo com a família ou fazer um bolo para economizar alguns reais (às vezes a melhor saída é economizar mais ainda no presente).


Ao incorporar esse exercício mental de fazer o custo de oportunidade de todas as coisas em nossas vidas (ao gastar dinheiro e tempo) e transformá-lo num hábito, teremos uma visão mais racional do que estamos escolhendo, evitando impulsos, gastos exorbitantes e perda de tempo com atividades que não nos agregam. Assim, você sentirá aquela ótima sensação de que está tomando as melhores decisões, seu dinheiro será bem gasto e terá mais tempo para aproveitar o que há de bom na vida.



Meu nome é Rubens Sanghikian, economista e escolhi me voluntariar na Bem Gasto, utilizando a educação financeira como meio de combate à pobreza e desigualdade social. Neste blog postarei artigos na linha de como podemos utilizar a economia comportamental e políticas públicas para melhorar as nossas finanças. Até mais =D




42 visualizações